Minha História

Formada em Artes, Teologia e Gastronomia, tudo junto e misturado só podia resultar em: - Receber com arte - Reunir para agregar e estreitar laços de afeto - Cozinhar com gosto, sabor e cor Autora do livro “Linguiça, Café e Cachaça – O Gostinho do Interior”. Premiada pela revista Gula. Escreveu para revistas e jornais regionais, participou de programas da TV local, além de colaborar com blogs e clube do vinho. Trabalha como personal chef e oferece cursos a grupos intitulados “Receber+”, onde dá dicas de pratos, etiqueta e serviços de mesa.
Gostinho do Interior
Carnes

Rosbife Oriental

O delicioso rosbife do chef Luiz Cintra.

Ingredientes:
1 peça de filé mignon limpa
1 e 1/2 xícara de shoyu
1e 1/2 xícara de saquê
2 dentes de alho picadinhos
2 colheres de chá de gengibre ralado
1 colher de chá de açúcar
1 colher de sopa de suco de limão
Para grelhar:
100 gr de shitake
1 berinjela cortada em rodelas
1 abobrinha cortada em rodelas
Fatias de 1/2 pimentão vermelho
1 cebola fatiada
(ou qualquer outro legume que você queira usar: cenouras, vagem cozida etc.)

Preparo:
Corte os legumes em fatias de 1/2 cm. e coloque numa chapa ou grelha até ficarem macios. Salpique com sal.
Coloque em uma panela o shoyu, o saquê, o alho e o gengibre e leve ao fogo para ferver. Divida o filé em duas partes e junte ao molho de shoyu, na panela. Cozinhe por cerca de 15 minutos virando regularmente. Retire do molho e coloque numa tábua para descansar por 5 minutos.
Acrescente o açúcar na panela e ferva o molho novamente, coe e junte o suco de limão.
Fatie a carne e sirva com os legumes grelhados. Regue com um pouco do molho.

Post Relacionado
Polenta grelhada com molho de linguiça
07/05/2020
Risoto de Linguiça e Tomate Cereja
07/05/2020
Macarrão com Abóbora no Molho de Sálvia e Gengibre
03/05/2020
Pães , Tortas e bolos

Biscoito de Polvilho

Quer acompanhamento melhor para o cafezinho da tarde?
Ingredientes:

360 g de polvilho azedo
180 ml de leite
160 ml de óleo de canola
240 ml de água
1 ovo
1 colher (sopa) rasa de sal
Manteiga para untar a forma
Preparo:
Junte o polvilho e o sal numa tigela grande. Misture e reserve.
Coloque o leite e o óleo numa panela e leve ao fogo alto para ferver. Em seguida, retire do fogo e escalde o polvilho. Mexa vigorosamente com uma colher sem deixar esfriar, até obter uma massa homogênea.
Adicione o ovo à massa e misture. Acrescente água, aos poucos, até que a massa atinja uma consistência meio dura. Transfira a mistura para uma batedeira e bata até obter uma massa homogênea. Preaqueça o forno a 180ºC (temperatura média) e unte uma assadeira com manteiga.
Retire a massa da batedeira e coloque num saco de confeitar. Para formar os biscoitos, coloque o bico próximo à assadeira e aperte o saco de confeitar, formando palitos ou argolas. Tente fazer todos da mesma forma e tamanho, assim todos levarão o mesmo tempo para assar.
Leve a assadeira ao forno preaquecido e asse por cerca de 15 minutos.
Retire os biscoitos do forno e deixe esfriar bem. Guarde-os em recipiente fechado, em local seco e arejado.

Post Relacionado
Rosbife Oriental
27/05/2020
Rosquinha de Araruta
27/05/2020
Filé mignon recheado com Presunto cru e Shitake
07/05/2020
Pães , Tortas e bolos

Rosquinha de Araruta

A receita da Tia Chiquita: (40 rosquinhas)

Tenho colecionado receitas durante toda a minha vida – revistas, páginas destacadas, meu primeiro livro do meu primeiro curso de culinária, receitas da vovó, receitas da mamãe e finalmente as minhas próprias receitas e livros. Com certeza, as mais curiosas são dos cadernos herdados, onde a grande maioria recebe o título de outra pessoa, por exemplo: Bolo da Magali, Pudim da Nenê, Torta da Tia Nilde, Pãozinho da mamãe… Não sabemos de onde a Magali, a Nenê e tantas outras tiraram as suas receitas. Podem ter sido passadas entre as famílias, entre amigas ou copiadas de outros lugares… O importante é que continuam vivas e preservadas na simplicidade da escrita, desde os ingredientes (uma xícara, um pires…)
Hoje vou passar para vocês uma receita que encontrei nos guardados da vovó. Achei no meio de um caderno amarelado, um pedaço de papel de pão pardo que dizia “Rosquinha de Araruta da Chiquita”. Minha mãe sempre diz que a Tia Chiquita fazia comidinhas maravilhosas!!! Mas o curioso em tudo isso é encontrar a receita anotada pela vovó que sempre fez pães, tortas e bolos de memória…

Para começar é melhor explicar o que é araruta, pois, infelizmente tornou-se uma raridade e tem sido substituída pelo polvilho doce que é um pouco mais denso e doce.

A araruta é uma planta originária das regiões tropicais da América do Sul, infelizmente, em extinção. A indústria alimentícia ao invadir os domínios da cozinha doméstica, substituiu o polvilho de araruta pelo o de mandioca ou pela farinha de trigo ou milho, prejudicando assim o cultivo da planta. Porém, houve um tempo, em que as donas de casa preparavam biscoitos, brevidades, mingaus e bolos, de araruta. Segundo a sabedoria popular, a araruta tem vários usos medicinais, mas é na culinária que o uso desta planta se destaca, recomendada para pessoas com restrições alimentares ao glúten (doença celíaca). O polvilho da araruta tem uma leveza inigualável. Por isso os biscoitos derretem na boca.

A Fécula de Mandioca é uma farinha amilácea (da natureza do amido) finíssima, modificada através da fermentação natural, apresentando características próprias, também conhecida como polvilho. De acordo com o teor de acidez, o produto é classificado em polvilho doce ou azedo.


Ingredientes:
1 pires de araruta
1 pires de polvilho
1 pires de farinha de trigo
1 pires de banha
1 pires de açúcar
Erva-doce a gosto
2 ovos inteiros
2 gemas

Preparo:
Coloque em uma tigela a araruta, o polvilho, a farinha de trigo, o açúcar, a erva-doce, a banha derretida e os ovos. Amasse bem com as mãos até atingir o ponto de enrolar. Faça as rosquinhas e leve para assar em forno aquecido (180º C), durante 20 minutos ou até ficarem levemente coradas.

Post Relacionado
Rosbife Oriental
27/05/2020
Biscoito de Polvilho
27/05/2020
Filé mignon recheado com Presunto cru e Shitake
07/05/2020
Doces e Sobremesas

Pudim de Doce de Leite


Ingredientes:
2 l de leite tipo A
1 kg de açúcar
9 gemas
1 ovo
Preparo:
Numa panela, coloque o leite e o açúcar e misture bem, até dissolver o açúcar. Leve ao fogo baixo e deixe cozinhar por 3 horas, ou até que o líquido esteja reduzido à metade do volume inicial. Para evitar que o leite derrame, coloque um pires dentro da panela e deixe durante todo o cozimento. Retire a calda de leite do fogo e passe por uma peneira. Deixe esfriar.
Coloque as gemas e o ovo numa tigela grande e bata com um batedor de arame por 3 minutos.
Separe 1 litro do doce de leite e adicione delicadamente em fio à mistura de ovos. Misture bem até obter um creme homogêneo. Reserve.
Preaqueça o forno a 170º C (temperatura baixa).
Caramelize uma forma de pudim de 20 cm de diâmetro. Para isso, com uma luva ou pano, segure a forma com açúcar sobre a chama do fogão. Vá virando para o caramelo que se formar cubra toda a lateral.
Transfira o creme para a forma caramelizada e cubra com papel-alumínio.
Asse em banho-maria (coloque a forma de pudim dentro de uma assadeira com um pouco de água). Leve ao forno e deixe assar por 1 hora e 30 minutos.
Quando o pudim estiver pronto, retire-o do forno. Tire a forma de pudim de dentro da assadeira com água e deixe esfriar. Depois de frio, leve o pudim à geladeira por no mínimo 3 horas.
Para desenformar passe uma faquinha de ponta arredondada nas laterais da forma. Coloque a forma sobre a chama do fogão, com o fogo baixo. Deixe por 20 segundos. Isso fará com que o pudim saia mais facilmente. Sirva a seguir.

Post Relacionado
Rosquinha de Araruta
27/05/2020
Filé mignon recheado com Presunto cru e Shitake
07/05/2020
Empadinha de Palmito
07/05/2020
Carnes

Filé mignon recheado com Presunto cru e Shitake


Ingredientes:
1 dente de alho picadinho
200 g de shitake em fatias finas
¼ de xícara de conhaque
1 pedaço central e limpo de 800 g de filé mignon
Suco de 1 limão
50 g de queijo parmesão ralado
10 folhas de sálvia
8 folhas de manjericão
1 ramo pequeno de alecrim
2 ramos de tomilho
8 fatias finas de presunto cru
½ xícara de vinho branco
Azeite de oliva
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Numa frigideira média, aqueça um fio de azeite de oliva, junte o alho, espere perfumar, adicione o cogumelo, um pouquinho de sal e cozinhe em fogo baixo por uns 10 minutos, até que esteja macio, ligeiramente dourado e o líquido tenha secado. Acerte o sal e a pimenta e deixe esfriar.
Com uma faca afiada, e fazendo um movimento em espiral, abra a carne, no sentido do comprimento, como um bife retangular e bem grande, depois bata com batedor para conseguir uma espessura uniforme. Polvilhe a carne com sal e pimenta dos dois lados, regue um dos lados com o conhaque, o suco do limão e uma fina camada de azeite. Por cima espalhe o queijo, as folhas de sálvia, manjericão, alecrim, tomilho, o cogumelo e cubra com as fatias do presunto. Enrole a carne como um rocambole e amarre com barbante para firmar e não desenrolar; reserve.
Aqueça o forno a 200ºC (médio-alto). Aqueça um fio de azeite numa assadeira pequena, ou numa panela média que possa ir ao forno, e doure a carne de todos os lados. Leve a assadeira ao forno por uns 20 minutos, até que, enfiando uma faca de ponta fina bem no centro, suba um líquido rosado e a lâmina saia morna (a carne estará ao ponto, bem rosada por dentro). Transfira a carne para um prato e deixe descansar por 10 minutos antes de cortar. Enquanto isto coloque o vinho branco na assadeira e leve diretamente ao fogo, raspando com uma colher de pau para soltar o que estiver grudadinho no fundo. Deixe o molho reduzir por uns 5 minutos, ajuste o sal, a pimenta e sirva com a carne.

Post Relacionado
Rosbife Oriental
27/05/2020
Biscoito de Polvilho
27/05/2020
Rosquinha de Araruta
27/05/2020
Massas

Nhoque da Mama


O truque de um bom nhoque é utilizar a menor quantidade de farinha de trigo possível para que eles fiquem macios e leves, conferindo assim melhor textura e sabor. A batata ideal para se fazer o nhoque é aquela de polpa mais seca, conhecida como Asterix. Mas, se não encontrar esse tipo, vale usar a batata tradicional e não cozinhá-la demais para evitar que absorva muita água. Outro truque é levá-las ao forno por alguns instantes para que percam um pouco da umidade.
Ingredientes:
Massa:

1 kg de batatas
100 a 150 g de farinha de trigo
1 ovo
Sal a gosto
1 pitada de noz moscada
Molho:
1 cebola picadinha
2 dentes de alho picadinho
2 colheres de sopa de azeite
1 folha de louro
1 colher (chá) cheia de açúcar
2 latas de molho de tomate
2 latas de água
Algumas folhas de manjericão fresco
1 colher de sopa de orégano seco
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Massa:
Cozinhar as batatas com casca em bastante água salgada. Não deixe que cozinhe demais, senão, absorve muita água. Retire a casca e passe pelo espremedor. Espere o purê amornar e misture o ovo, a noz-moscada e a farinha peneirada aos poucos. Se precisar use mais farinha, até que desgrude das mãos. Porém não se deve sovar por muito tempo a mistura para não liberar o amido da batata. Se necessário, acerte o sal.
Divida a massa em porções e role-as por uma mesa enfarinhada, formando bastões longos da espessura de um dedo. Corte em pedaços de 2 a 3 cm. Role cada pedaço na mesa enfarinhada.
É sempre importante salpicar um pouco de farinha nos nhoques para evitar que grudem. Cozinhe-os em bastante água fervente salgada, um pouco de cada vez. Estarão cozidos quando subirem à tona. Retire-os com uma escumadeira. Coloque-os em uma travessa untada com um pouco de óleo. Reserve.
Molho:
Em uma panela coloque a cebola com o azeite, em fogo baixo, até ficar transparente. Acrescente o alho até dourar, junte o açúcar e mexa para dar uma caramelizada. Coloque o molho de tomate, a água, a folha de louro e sal a gosto. Cozinhe até reduzir aquela espuma que se forma. Tempere com o manjericão fresco, o orégano e pimenta-do-reino. Se preferir, processe o molho antes de servir por cima do nhoque, acompanhado de queijo parmesão ralado.

Post Relacionado
Pudim de Doce de Leite
07/05/2020
Salada Verde
07/05/2020
Empadinha de Palmito
07/05/2020
Entradas

Salada Verde


Ingredientes:
1/2 pão italiano (miolo) cortado em cubos de 1 cm
2 dentes de alho amassados com 2 ramos de alecrim
8 xícaras de alface romana cortada em tiras de 2 cm de largura
Molho:
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
2 colheres (sopa) de suco de limão
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 colheres (chá) de mostarda dijon
2 colheres (chá) de vinagre de vinho tinto
1 gema de 1 ovo fervido por 1 minuto
1 colher (chá) de molho inglês
1 dente de alho pequeno inteiro
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Preaqueça o forno a 200ºC (médio). Num saco plástico, misture o pão e o alho com alecrim. Feche sem tirar o ar e agite bem. Espalhe numa assadeira e leve ao forno preaquecido até dourar (cerca de 15 minutos). Deixe esfriar. Transfira para uma saladeira e acrescente a alface. Prepare o molho: no liquidificador, bata todos os ingredientes até obter um molho homogêneo. Distribua a salada sobre o molho, coloque mais parmesão misture e sirva.

Post Relacionado
Rosbife Oriental
27/05/2020
Biscoito de Polvilho
27/05/2020
Rosquinha de Araruta
27/05/2020
Lanches, uncategorized

Empadinha de Palmito

Ingredientes:
Massa

500 g de maionese
500 g de farinha de trigo
3 gemas para pincelar
Recheio
300 g de palmito picado
1 cebola picada
1 colher (sopa) de margarina
1/2 cubinho de caldo de legumes
1/2 xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
Massa

Ponha a maionese em uma tigela e junte com as mãos a farinha de trigo até obter uma massa tipo podre (ela fica esfarelada). Reserve na geladeira coberta.
Recheio
Refogue a cebola na margarina até ficar macia. Junte o palmito picado e cozinhe por cinco minutos. Dissolva o cubinho de legumes no leite e despeje na panela. Junte a farinha e cozinhe sem parar de mexer até engrossar. Corrija o tempero e deixe esfriar.
Forre as laterais de forminhas para empada com a massa e ponha o recheio. Nas palmas das mãos modele pequenos discos com a massa e feche as empadas. Pincele com as gemas e leve ao forno médio preaquecido até dourar.
Dica: se desejar dissolva as gemas em um pouco de leite para pincelar

Post Relacionado
Rosquinha de Araruta
27/05/2020
Pudim de Doce de Leite
07/05/2020
Filé mignon recheado com Presunto cru e Shitake
07/05/2020
Lanches

Coxinha de frango

Ingredientes:
1 tablete de caldo de galinha
4 xícaras (chá) de leite
1 colher (sopa) de margarina
4 xícaras (chá) de farinha de trigo
Farinha para polvilhar a mesa
Recheio:
1 tablete de caldo de legumes
2 xícaras (chá) de água fervente
1 peito de frango (400 g aproximadamente)
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola média picada
2 dentes de alho amassados
Sal e pimenta a gosto
Salsa picada a gosto
6 colheres (sopa) de requeijão
1 clara e farinha de rosca para empanar
Preparo:
Em uma panela, ponha o tablete de caldo de galinha dissolvido no leite e a margarina. Leve ao fogo e deixa ferver. No fogo brando, junte aos poucos a farinha e mexa até desgrudar do fundo da panela. Ponha em uma superfície enfarinhada. Espere esfriar um pouco e trabalhe a massa até ficar lisa. Deixe descansar por 15 minutos.
Recheio:
Dissolva o caldo de legumes na água fervente, junte o frango e deixe cozinhar até ficar macio. Espere esfriar e desfie. Em uma panela, aqueça o azeite, doure a cebola, o alho e junte o frango. Tempere com sal se necessário, pimenta e deixe por 3 minutos. Junte salsa e o requeijão. Espere esfriar e recheie as coxinhas. Passe na clara e na farinha de rosca. Frite em óleo quente até dourar.
Se preferir, ponha as coxinhas em assadeira untada e asse em forno quente até dourar.

Post Relacionado
Arroz e Grãos

Polenta grelhada com molho de linguiça

Polenta grelhada com molho de linguiça
Ingredientes:

500 g de linguiça fresca de porco
3 dentes de alho
1 colher (sopa) de azeite
1 xícara (chá) de vinho tinto
1 lata de tomates pelados
1 xícara (chá) de água
2 folhas de louro
½ colher (sopa) de pimenta-calabresa seca em flocos
Polenta:
5 xícaras (chá) de água
2 xícaras (chá) de flocos de milho pré-cozidos
Sal e mussarela ralada a gosto
2 colheres (sopa) de manteiga
Preparo:
Pique a linguiça sem a pele. Refogue o alho no azeite, junte a linguiça e frite até secar. Ponha o vinho, o tomate, a água, o louro e a pimenta. Cozinhe, mexendo às vezes, até engrossar. Reserve.
Em uma panela de pressão, ferva a água e junte os flocos de milho e o sal aos poucos, mexendo sempre. Adicione a manteiga e tampe a panela. Leve ao fogo alto até ferver. Abaixe a chama e cozinhe por dez minutos.
Retire do fogo e abra a panela quando a pressão sair. Passe a polenta para uma assadeira pequena, levemente untada com óleo, e deixe esfriar. Desenforme sobre uma tábua e corte em bastões.
Grelhe em uma grelha antiaderente, bem quente e untada com margarina, até dourar. Em um refratário, faça camadas de polenta e molho. Polvilhe a mussarela e leve ao forno, preaquecido a 200 °C, até o queijo derreter.

Post Relacionado
Rosbife Oriental
27/05/2020
Risoto de Linguiça e Tomate Cereja
07/05/2020
Macarrão com Abóbora no Molho de Sálvia e Gengibre
03/05/2020